Categorias:

Após justiça negar recurso, menina de 9 anos terá que ser entregue à avó

Nesta quinta-feira, dia 25 de fevereiro, o TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais), veio a negar o recurso que veio a ser impetrado pelos pais adotivos da pequena Vivi, que tem nove anos, logo, o tribunal vem a decidir que a guarda da menina volte para vó paterna. Contudo, essa decisão do Tribunal veio a causar revolta em familiares e nos advogados.

Grupo de notícias no Whatsapp
Entre para o nosso grupo no WhatsApp e receba notícias diariamente.

De acordo com a presidente da Comissão de Adoção do Instituto Brasileiro de Direito a Família, Silvana do Monte Moreira, que estaria acompanhando o caso, veio a afirmar que a devida decisão veio a ser lastimável.

Logo ela fala que foi a pior decisão possível, também veio a afirmar que o tratamento que foi dado aos advogados foi lamentável.

Silvana ainda veio a criticar o comportamento de Maria das Graças Silva Albergaria dos Santos Costa, que é desembargadora da Vara de Infância e Juventude, responsável por negar o recuso.

Para entender um pouco melhor o caso, Manoel Luiz Bella e Carolina Alves Bella vieram a se cadastrar em 2001 no Sistema Nacional de Adoção, mas somente em 2014 que vieram a receber notificação do órgão, avisando que uma criança estaria disponível para a adoção.

O Promotor de Justiça, veio a explicar ao casal naquela época, que a criança estaria morando em um abrigo, visto que, em sua casa, ela presenciava um cenário bem violento, já que seu pai teria matado o avô da pequena Vivi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *